Marketing de desempenho

Marketing de desempenho

Anunciantes: preparados para a primavera?

primavera

Após a loucura das festas de fim de ano e dos saldos de inverno, a primavera é o período que estabiliza a atividade comercial. Em muitos setores de atividade sazonais, trata-se do fim da coleção de inverno e do início da coleção de verão. Embora as condições climáticas e os eventos atuais possam ter impacto na atividade e no volume das vendas online, não deve, no entanto, descurar os seus negócios. Para preparar a sua check-list e organizar a sua equipa e futuras operações, fornecemos-lhe algumas dicas, conselhos e boas práticas.

Marketing de conteúdo: planificar e organizar

O marketing de conteúdo é o que impulsiona a sua marca. Graças a este, contribui para fidelizar a sua comunidade e pode obter novos potenciais clientes. É precisamente nos períodos mais calmos que podemos dedicar algum tempo a organizar o conteúdo que será partilhado. Tal inclui o planeamento dos próximos artigos para o blogue, operações sociais e, para os mais ousados, operações de newsjacking. Embora algumas destas últimas atividades estejam associadas a eventos atuais, outras podem ser preparadas com antecedência, como:

Em abril:

  • A tradicional mentira do dia 1de abril
  • Uma operação na altura da Páscoa

Em maio:

  • O dia dedicado ao Star Wars
  • O Festival de Cannes
  • O Dia da Mãe
  • Roland Garros

Em junho:

  • Os Santos Populares
  • A volta à França

Para que o marketing de conteúdo seja eficaz e não muito moroso, é necessária uma boa organização. Calendário de produção, atualização da linha editorial, escolha de temas estratégicos, inteligência competitiva… tantas práticas recomendadas a implementar na primavera.

Organizar os saldos de verão

Claro que ainda tem tempo, pois estes só começarão a partir do final de junho, mas isso permite-lhe antecipar futuras campanhas ou colaborações a implementar.

Pode aproveitar a oportunidade para se lançar no marketing de influência e encontrar influenciadores em sintonia com os valores da sua marca para transmitirem as mensagens adequadas. Trata-se de um trabalho que pode ser efetuado de forma independente, ou em colaboração com uma agência, para poupar tempo. O marketing de influência é uma alavanca que requer uma estratégia. Uma mensagem única junto de um único anunciante geralmente não é suficiente. Dedique algum tempo a encontrar os influenciadores que estão em sintonia com os seus perfis para distribuir o tempo de uso da palavra durante os próximos meses.

Na mesma linha, existem outras alavancas promocionais que pode ativar, como a afiliação. A partir de um marketplace ou de um website de terceiros (blogue, canal YouTube, website, etc.), os afiliados encarregam-se de fazer a promoção dos seus produtos e serviços mediante uma comissão sobre as vendas. Mais uma vez, encontrar os influenciadores que terão a função de porta-voz das suas ofertas não se consegue em poucos dias. A antecipação é a chave para o sucesso.

É também o momento de permanecer em contacto com a sua comunidade, através de campanhas de marketing por email. Não é preciso esperar por uma oferta promocional para interagir com os seus clientes. Pode aproveitar a oportunidade para pedir a sua opinião sobre um tema ou um projeto, partilhar uma experiência, lançar um concurso ou desenvolver uma nova iniciativa (clube privado, degustação ou apresentação, etc.).

Por fim, como preparação para os saldos de verão, pode melhorar ou reorganizar o seu website, atualizar a sua aplicação móvel e lançar uma série de testes A/B para otimizar a experiência do cliente.

Atualizar e otimizar as suas ferramentas

Se a atividade continuar entre os períodos de saldos, o pico de tráfego concentra-se, sobretudo, nos grandes períodos fortes. Sem contar que um mês como o de maio é repleto de oportunidades para fazer ponte e fins de semana prolongados que combinam muitas vezes com uma atividade inferior em alguns setores de atividade. Esta é uma oportunidade para fazer todas as operações de revisão e de manutenção necessárias. Atualizar o website, fazer backups, testes, atualizar os servidores da web, implementar novas plataformas e novas ferramentas… é a grande limpeza da primavera!

Ou seja, a primavera também significa renovação. E se for também uma oportunidade para aperfeiçoar os seus processos internos (monitorização, serviço de apoio ao cliente, moderação social, etc.), fazer o balanço das campanhas anteriores e otimizar as suas colaborações internas e externas?

Antecipar e controlar os fluxos e os volumes de trabalho, estação a estação, permite-lhe distribuir melhor a utilização dos seus recursos tecnológicos, humanos e financeiros ao longo do ano. A primavera não é exceção. Os comerciantes mais bem organizados serão também os mais rápidos e os mais responsivos quando surgir a necessidade.

Contacte a nossa equipa de especialistas para ajudá-lo a atualizar as suas campanhas e a planear o seu calendário de operações comerciais.

en savoir plus
Marketing de desempenho

Como criar o kit email perfeito?

kit de email

Sabe por que razão deve criar o kit email perfeito? Apesar das redes sociais, das mensagens instantâneas e das aplicações móveis, o email continua a ser um dos meios de comunicação mais eficazes. As campanhas de marketing de desempenho por email são também uma alavanca de marketing que não deve subestimar para comunicar através de uma base de contactos em regime de opt-in (adesão voluntária) no âmbito de uma campanha de afiliação. Para facilitar este trabalho, os anunciantes colocam à disposição dos editores kits de comunicação destinados a serem utilizados em Websites de terceiros. Entre estes, encontramos o kit email que permite ao anunciante controlar a sua comunicação, o seu design e as mensagens-chave a partilhar. Mas, criar um kit email perfeito não é uma tarefa fácil. Explicamos-lhe como otimizar as suas mensagens!

O que inclui um kit email perfeito?

Não pode pedir aos editores que façam o trabalho de design por si. Embora alguns sejam especialistas em tecnologia, outros estão menos à vontade com a criação de emails. Sobretudo porque não conhecem todas as subtilezas do seu gráfico (códigos de cores, logótipo, tipo de letra, etc.). É por isso que o kit email tem a vantagem de estar pronto a utilizar, sem conhecimentos técnicos. Para isso, os anunciantes fornecem um ficheiro HTML que os editores podem importar na sua ferramenta de gestão de campanhas de marketing por email. Todas as imagens estão alojadas num servidor de terceiros – geralmente do anunciante – o que garante uma grande disponibilidade e uma velocidade de carregamento otimizada. Dentro do kit, também encontra recomendações ou diretrizes para integrar o conteúdo do email nas ferramentas mais populares onde estão alojados os endereços em regime de opt-in (adesão voluntária).

O objetivo é não tocar no código para poupar tempo e ter um estilo consistente. Um anunciante que trabalha com vários editores pode ver a sua mensagem ser transmitida de modo uniforme no quadro de uma relação de confiança.

Os essenciais para um kit email perfeito

Quanto melhor for o kit email, melhor será o potencial de retorno do investimento. Gerir os seus kits com um orçamento apertado é geralmente o caminho mais curto para campanhas mal construídas e dececionantes. Para evitar esta situação, seguem-se os elementos essenciais a reter e a integrar:

Ao nível da conceção e do design

  • Um email responsivo

O seu design deve ser otimizado para ser apresentado na perfeição em todas as plataformas e em todos os terminais. A seriedade e o profissionalismo do código são indispensáveis para uma representação de elevada qualidade.

  • Imagens inspiradoras

As imagens que compõem o email (cabeçalho, rodapé, imagens ilustrativas, ambiente ou retiradas do catálogo de produtos) devem ser otimizadas (peso e tamanho) para não prejudicarem o carregamento da página.

  • Links funcionais

Um link para um erro 404 ou para uma imagem inexistente no seu servidor são erros de principiante a serem evitados nesta fase.

  • Rastreadores relevantes

Todos os links, botões e CTA (Call To Action) devem ser rastreados com ferramentas úteis para avaliar o desempenho da sua campanha (e melhorá-la no futuro, se necessário).

Ao nível do conteúdo

  • Etiquetas dinâmicas

Se possível, personalize o seu email com etiquetas dinâmicas para uma mensagem mais autêntica (nome, apelido, sexo, localização geográfica, etc.).

  • Um slogan forte e um conteúdo legível

Um email não é uma página Web. O conteúdo deve ser breve e compreensível. A escolha das palavras, dos títulos e do tipo de letra pode fazer a diferença entre um email relevante e uma mensagem que é entregue diretamente na caixa de spam ou no lixo.

  • Um conteúdo sem erros ortográficos

É simples e básico, mas vale sempre a pena repetir!

  • Um conteúdo atualizado e controlado

Não duplique os kits emails antigos existentes sem verificar se as informações incluídas ainda são relevantes (link, oferta promocional, mensagem, imagem, etc.). O controlo de qualidade deve ser sistematicamente imposto.

Ao nível das obrigações legais

  • Cumprimento do RGPD

A lei europeia é da responsabilidade do anunciante, incluindo quando este trabalha com subcontratantes. Trabalhe apenas com parceiros de confiança que cumpram as regras do GDPR.

  • Link de cancelamento da subscrição

Faz parte das regras clássicas, mas deve ser bem integrado e colocado num local visível.

  • Endereço e informações de contacto do anunciante

Obrigatório para identificação do remetente da mensagem.

  • Mensagem de confirmação

Para explicar por que motivo o destinatário recebe este email e em que contexto.

Com todos estes conselhos, tem agora à sua disposição todas as práticas recomendadas para criar o kit email perfeito e otimizar as suas campanhas futuras. Tem apenas de começar a transmitir as suas mensagens junto de uma comunidade recetiva e interessada. Necessita dos serviços de um estúdio gráfico? A nossa equipa de Web designers é especializada em performance marketing. Contacte-nos para saber mais!

en savoir plus
Marketing de desempenhoPublicidade Móvel

Retailers: Inclua o drive-to-store na sua estratégia digital

Drive-to-store

O drive-to-store é a versão local do e-commerce. O objetivo é usar todas as alavancas digitais disponíveis para os anunciantes para transformar dados geolocalizados e o uso quase constante de smartphones de modo a atrair os clientes para a loja. Seja para comprar ou recolher uma encomenda, o drive-to-store “cimenta” a experiência do cliente e oferece novas oportunidades para desenvolver os seus negócios. Mas ainda precisa saber como o fazer.

Quando o digital é usado para aumentar as vendas físicas nas lojas

Opor-se ao e-commerce e ao comércio tradicional não faz sentido hoje em dia. Os dois devem trabalhar juntos numa lógica omnicanal para personalizar experiências para os clientes. O drive-to-store fornece uma solução que converge a internet e a rede física.

As compras na loja estão, de fato, longe de terem sido destronadas pela internet. O último relatório anual do FEVAD (Fevad, Federação de comércio eletrônico e venda à distância) releva que 91,5% das compras no comércio retail ainda são efetuadas na loja.

Mas precisam de se reinventar constantemente para ter mais flexibilidade e agilidade. Com o drive-to-store, o digital incentiva os clientes a irem à loja em busca de objetivos que diferem de acordo com as estratégias aplicadas. Eis alguns exemplos:

  • Pedidos on-line, recolha na loja

    Este é o princípio do “click and collect”, que foi popularizado pela grande distribuição com o conceito de “drive”. O cliente pode comprar um produto on-line e recolhê-lo alguns minutos ou horas depois. Tem acesso imediato ao seu pedido, poupa tempo e pode, opcionalmente, adicionar produtos adicionais ou opções adicionais. Uma estratégia de cross-selling ou de upselling que pode ser significativa para os retailers. Atualmente é uma solução logística oferecida por 38% das marcas de acordo com o FEVAD.

  • Pedidos on-line, recolha num ponto de venda de terceiros

    Este é o sistema de retransmissão das encomendas onde um comerciante concorda em receber pedidos de outras marcas. Se a loja recebe uma pequena comissão da passagem, é especialmente a oportunidade de trazer à sua loja clientes que talvez nunca tivessem ido. Atualmente é uma solução logística oferecida por 86% dos e-comerciantes.

  • Reserva online, experiência na loja

    Um cliente pode marcar uma reunião on-line, através de uma aplicação móvel, um chatbot ou um site do comerciante, e ir até à loja para viver uma experiência. Experimente roupas já selecionadas e prontas para a chegada do cliente, atendimento cosmético, mesa de um restaurante, teste de um carro novo… quanto mais suave o processo móvel, mais a experiência será apreciada. Uma abordagem que provavelmente gera fortes recomendações sociais.

As chaves do drive-to-store

Otimizar a abordagem drive-to-store envolve dominar várias alavancas de marketing. Identificámos algumas para ajudar:

Referencial local com as principais plataformas

Google MyBusiness, Yelp, Tripadvisor, Uber Eats… são impossíveis ignorar. Essas ferramentas e plataformas de intermediação desempenham um papel central na ligação entre anunciantes e potenciais clientes. Para os retailers é essencial ser bem referenciado, ter uma forte cultura do cliente (importância da aparência), compartilhar conteúdo adaptado (fotos, vídeos, descrições) e, especialmente, que toda a informação seja sempre atual (horário de funcionamento, detalhes da loja, etc.).

Publicidade geolocalizada

Orientar as pessoas certas de acordo com os hábitos de viagem ou a posição geográfica delas é essencial no drive-to-store. A geolocalização é aqui uma alavanca estratégica. Quer entrar em contacto com um cliente próximo que é provável de facilmente o visitar. Seja em ADM, SEA ou RTB, quanto mais direcionada a publicidade, mais relevante será.

Notificações e aplicações móveis

Se tiver uma aplicação para dispositivos móveis, a geolocalização poderá comunicar melhor com pessoas próximas à sua loja. A boa prática mais comum é a store locator conselhos para os retailers compreendendo uma pluralidade de lojas. Se quer tomar um café no Starbucks ou está à procura de um corta-relvas num supermercado, essa capacidade de conectar o cliente a uma loja acrescenta valor.

Conectando a dados de terceiros

Clima, notícias, novas coleções… cada marca pode desenvolver comunicações personalizadas por e-mail ou SMS de acordo com acionadores específicos. Um trabalho que exige uma narrativa criativa e pode tocar os seus clientes para incentivá-los a ir até à loja.

CRM onboarding

É uma tecnologia que reúne transações e visitas a lojas com base em exposições de publicidade on-line. É sempre importante saber se a sua publicidade no Facebook gerou visitas às lojas, por exemplo.

O heatmap

Uma vez na loja, fontes discretas são capazes de identificar a distribuição dos seus clientes nos seus corredores e departamentos. Isto é muito útil para reorganizar a sua publicidade, destacar as suas dicas e encontrar os mecanismos para manter os seus clientes por mais tempo no local enquanto melhoram os seus recursos humanos (vendedores e consultores).

Atualmente não é possível ignorar o drive-to-store. Para os retailers, é a alavanca essencial que combina o melhor dos dois mundos para uma melhor personalização das experiências. Uma estratégia de marketing baseada na relevância dos dados e uma boa gestão da mobilidade para se adaptar ao novo comportamento de compra.

Descubra as nossas soluções de drive-to-store graças à nossa equipa de especialistas: entre em contacto com eles para saber mais!

en savoir plus
Geração de leads

Redes sociais: gerar leads mais qualificados

leads qualificados

Difícil de as ignorar ou prescindir delas já que estão em toda parte. Do Facebook ao Instagram passando pelo Twitter, Pinterest e LinkedIn, as redes sociais são ótimas ferramentas de comunicação para construir e desenvolver uma comunidade. No entanto, podem fazer mais do que apenas fornecer informações. Bem utilizadas, as redes sociais também são alavancas de negócios para gerir leads qualificados que podem ser convertidos em clientes. Entre inbound marketing, lead generation e lead nurturing, descubra como as redes sociais podem impulsionar os seus negócios.

Personas e redes sociais: em querer estar em todo lado acaba por não estar em lado nenhum

Falamos do Facebook, obviamente, mas também do Twitter e porque não o Snapchat também? Com as redes sociais, é tentador querer estar em todos os lugares mas corre o risco de dispersão. No entanto, é impossível estar em todas as redes sem uma equipa dedicada e conteúdo adaptado e diferenciado em todas as plataformas. Abrir uma conta para “estar lá” e deixá-la inativa é pior do que não ter nenhuma conta. Boa comunicação nas redes sociais exige, portanto, uma estratégia adequada. Antes de começar, é necessário saber em qual rede apostar.

Para isso, deve definir as suas personas. Estes são retratos robóticos dos seus clientes típicos. Personagens virtuais com uma identidade real e que ganham vida com as informações da experiência da sua equipa de marketing e vendas, bem como dados coletados pelo suporte ao cliente. Com 4 ou 5 personas, deve ser capaz de cobrir 80% dos seus clientes.

Essas personas são evolutivas: conhecemos os seus percursos profissionais, as suas experiências, o que fazem, o que compram, quais são suas alavancas de motivação e, portanto, quais as redes sociais em que provavelmente passarão mais tempo.

As suas personas também são muito úteis para definir uma estratégia de conteúdo específica: o que leem? Quais são os problemas deles? Como poderia a sua oferta ajudá-los? Estas questões irão moldar a sua estratégia social online para gerar leads qualificados.

Use as ferramentas certas e as estratégias adequadas.

Para os responsáveis de marketing e gerentes de comunicação é difícil contentarem-se com ferramentas nativas fornecidas pelas principais plataformas sociais. São pensadas principalmente para utilização pessoal e faltam-lhes critérios para utilização profissional. É por isso que existem muitas ferramentas que complementam uma utilização básica. Deixamos abaixo, alguns exemplos de ferramentas e práticas recomendadas para dominar a sua presença on-line e tornar-se num especialista em geração de leads:

  • Automatização

    Estes são programas de software que se conectam às suas contas on-line para criar cenários de publicação e interação com base em acionadores. Por exemplo, assim que publica um artigo no seu blog, este é partilhado no Facebook e no Twitter, e algumas horas depois no LinkedIn. A automatização também permite que crie e-mails de marketing com facilidade ou marque prospetos de acordo com as suas ações (abertura de um e-mail, compromisso social, etc.)

  • URL tracking

    Quando o conteúdo é publicado, pode criar um link exclusivo para avaliar e acompanhar o impacto das suas campanhas e partilhas. Os seus KPI estarão sempre atualizados e relevantes.

  • Partilha de conteúdos frios

    Todas as suas publicações não podem ser recicladas infinitamente. Essa é a diferença entre conteúdo quente (relacionado à notícia e rapidamente obsoleto) e conteúdo frio, que é facilmente compartilhável. Pode criar listas temáticas de conteúdo frio que serão automaticamente publicadas de novo sem qualquer intervenção num ritmo pré-definido.

  • Inteligência competitiva

    Para monitorizar tendências, tópicos quentes ou descobrir o que os seus concorrentes estão a fazer. A partir de algumas contas sociais ou hashtags, pode criar um painel para uma monitorização pró-ativa e eficiente.

Marketing de conteúdo: seja organizado

As redes sociais são basicamente apenas um canal de comunicação. O que importa é o que pode colocar nele. Esse é o desafio do marketing de conteúdo: organizar, produzir e publicar um conteúdo variado e relevante que possa atender à sua presença social.

Para uma estratégia de marketing de conteúdo relevante, um calendário editorial é essencial. Desta forma sabe com antecedência qual artigo e qual tópico será publicado em qual rede de acordo com uma pessoa em particular. É uma boa maneira de antecipar a produção e distribuir melhor os seus recursos.

A variação do conteúdo também é importante. Artigos, infográficos, álbuns de fotos, questionários, vídeos… a diversidade cria dinamismo adicional no discurso. Na mesma linha, também pode testar vídeos ao vivo para diferentes formatos: AMA (ask me anything – um vídeo ao vivo onde responde a todas as perguntas dos utilizadores), um FAQ (mesmo princípio, mas as perguntas são previamente selecionadas e organizadas), unboxing, lançamento de um produto (evento à noite ou apresentação VIP com antecedência), vários eventos, etc.

As redes sociais são alavancas estratégicas de marketing para a sua marca. Elas transmitem mensagens-chave, geram valores fortes, aceleram as vendas e conectam os clientes a uma marca. É também uma forma de experimentar anúncios segmentados para alcançar pessoas além da sua comunidade imediata e, assim, recolher leads qualificados.

A nossa equipa de especialistas em geração de leads pode ajudá-lo. Entre em contato para saber mais!

en savoir plus
Marketing de desempenho

Porque é que o retargeting se tornou imprescindível para o e-commerce?

retargeting

Nas lojas físicas, tal como na Web, a pressão da concorrência é constante. A pesquisa e a qualificação de potenciais clientes estão nas prioridades dos profissionais de marketing. Tal e qual como um visitante pode passar e voltar a passar na rua, à frente de uma montra cuidadosamente organizada, a versão digital impõe uma abordagem diferente para tentar capturar o visitante inconstante. E, quanto a isso, o retargeting é uma estratégia muito eficaz para aumentar a taxa de conversão, reduzir a pressão financeira sobre os objetivos de aquisição e otimizar a experiência do cliente.

Como definir o acionador para um retargeting eficaz

O acionador é a ação que dará início ao processo de retargeting. É possível criar tantas campanhas de retargeting quanto o número de acionadores existentes. O que importa é personalizar a relação entre a ação e a mensagem. Por exemplo, não transmitiremos a mesma informação se um utilizador permanecer numa página de uma categoria durante cerca de vinte segundos, em relação ao que passará quatro minutos em várias páginas de produtos da mesma categoria.

Por isso, é essencial definir corretamente os acionadores. Aplicar o retargeting a cada passagem no Website – incluindo para quem permanece 10 segundos na página inicial – não é uma prática adequada. Não só vai gastar o orçamento desnecessariamente, mas, além disso, o utilizador pode sentir-se perseguido e seguido, o que não é necessariamente agradável.

Embora existam vários acionadores possíveis, para uma campanha eficaz, pode escolher:

  • Um carrinho não validado

Um utilizador (identificado ou não) que adiciona produtos ao carrinho, mas que não vai até ao fim do processo de compra.

  • Uma visita demorada

Numa página ou num conjunto de páginas, que se pode medir pelo tempo consagrado ao conteúdo, os links clicados ou o número de páginas visitadas.

  • Uma visita que varia de acordo com a origem

Publicidade, afiliação, redes sociais, etc.

Uma campanha de retargeting pode começar alguns minutos ou vários dias após o acionador. Trata-se de um critério importante, pois está diretamente associado ao objetivo da visita: quando uma visita a um blogue não requer uma ação imediata, um carrinho não validado poderia, por exemplo, ser redirecionado nas 36 a 48 horas que se seguem. Por outro lado, se o carrinho inclui um produto imediatamente efémero (um bilhete de comboio ou de avião para uma data próxima, ou uma operação especial prestes a ser concluída, por exemplo), nada impede que inicie a sua campanha nas próximas horas.

Retargeting: que mensagens transmitir?

A criação de publicidade associada ao retargeting é efetuada de modo automático. No caso de um Website de comércio eletrónico, associamos um modelo pré-existente ao conteúdo de um catálogo que contém os produtos consultados. Quando este último contém milhares de referências, o anunciante pode então selecionar apenas determinadas categorias de produtos, tais como aqueles cujos stocks são mais importantes ou cuja venda gera mais margem.

O trabalho de criação e de design deve ser levado a cabo de modo a transmitir a mensagem certa à pessoa certa. Alguns cenários de retargeting podem também incluir informações sobre os utilizadores, caso sejam conhecidas: se um homem visita uma secção do Website dedicada às mulheres, é legítimo imaginar que está à procura de um presente. O retargeting pode concentrar-se na valorização de um guia de compras ou de conselhos práticos, e não no produto como tal.

Práticas recomendadas do retargeting para os anunciantes

Variar o retargeting

Existem várias formas de retargeting, como:

  • Versão banner, mais conhecida e mais popular, mas que é também bloqueada com mais frequência pelos adblocks.
  • Versão conteúdo social patrocinado: geralmente consegue escapar aos adblocks e entra no fluxo do feed de notícias do utilizador nas redes sociais.
  • Versão email: a receção de um email incita o utilizador a prosseguir a sua ação, a entrar em contacto com o anunciante ou a fornecer-lhe conteúdo útil num processo de inbound marketing.
  • Versão vídeo: pode ser utilizada no YouTube, caso os utilizadores já tenham interagido com os seus vídeos anteriores (subscrição, gostos, visualização, etc.).

Definir o potencial cliente com pertinência

A partir de um Website comercial, quanto mais intensa for a página visitada, mais eficaz é o retargeting. É mais pertinente redirecionar um utilizador que passa mais tempo numa página do produto, do que na página inicial. Também pode criar campanhas de retargeting inteligentes a partir dos dados sociodemográficos apresentados. Esta é uma boa forma de transmitir a mensagem certa ao perfil certo.

Por fim, tenha em atenção para não ser muito específico no retargeting. Na verdade, o risco real é criar uma sensação de tracking que pode ser devastadora. Quando age com ponderação, arruína uma relação potencial com um potencial cliente. O retargeting deve ser utilizado para criar uma relação, não para incomodar os seus potenciais clientes!

Ferramenta estratégica para impulsionar as vendas, o retargeting deve ser utilizado com precisão e inteligência. As variáveis e a subtileza de ajuste são tão importantes, que é necessário conhecer bem todos os pormenores antes de iniciar. Por fim, uma última precisão puramente semântica. Por vezes, falamos também de remarketing e isso pode ser confuso. Na verdade, trata-se de uma especificidade do Google que nomeou a sua solução de retargeting “remarketing”, mas o princípio é o mesmo.

A nossa equipa de especialistas em gestão de programas baseada no desempenho é capaz de acompanhá-lo nesta alavanca de transformação. Entre em contacto para saber mais!

en savoir plus
InfluênciaMarketing de desempenho

Adotar o marketing de conteúdo para melhorar o seu SEO

marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo consiste em produzir, publicar, partilhar e gerir um conteúdo online que esteja em conformidade com o posicionamento de uma marca. No entanto, correndo o risco de o dececionar, publicar alguns tweets de vez em quando e um artigo no blogue por mês não é marketing de conteúdo. De facto, o marketing de conteúdo integra-se geralmente numa estratégia de inbound marketing de modo a atrair visitantes que, em seguida, será possível transformar em potenciais clientes e, em seguida, em clientes.

Para saber mais, mergulhe connosco nos segredos do marketing de conteúdo para otimizar a sua visibilidade.

Formatos do marketing de conteúdo

Consoante o seu problema de negócio, os seus objetivos estratégicos e o seu setor de atividade, existem muitas ferramentas que podem ser ativadas no marketing de conteúdo. Para ser eficaz, este último deve ser variado, diversificado e coerente. Eis alguns exemplos:

  • Artigo

Trata-se de um formato de texto que pode variar de 500 a 1500 palavras, consoante os assuntos. É um conteúdo que é publicado no blogue do seu Website ou em blogues de terceiros, como Medium ou LinkedIn Pulse. Pode também ser blogger convidado ou alojar conteúdo de parceiros, ou ainda propor fóruns e editoriais junto de editores conceituados e influentes (imprensa, Websites profissionais, etc.).

  • Publicação social

Quer se trate da reposição de um conteúdo existente que é partilhado nas redes sociais, de uma nova criação para fornecer uma informação ou fomentar o compromisso.

  • Imagens

Sob a forma de galerias fotográficas, álbuns de fotografia ou GIF, elas ilustram e dão vida ao conteúdo, quer seja nas redes sociais, no seu Website comercial ou no seu Website empresarial.

  • Vídeos empresariais

Com formato curto ou longo, diversificam as mensagens consoante o assunto abordado. Cada vídeo deve ter um público-alvo específico (por exemplo, um vídeo destinado aos acionistas não terá nada que ver com um vídeo destinado aos seus revendedores ou aos seus clientes).

  • Vídeos em direto

Um formato em direto, útil para conversas personalizadas do tipo Perguntas frequentes ou para retransmitir um evento em direto.

  • Histórias

Trata-se de um formato inovador e efémero encontrado nas redes sociais.

  • Artigo técnico

Utilizado principalmente em B2B, trata-se de um documento oficial que fornece conselhos e práticas recomendadas sobre um determinado assunto. Indispensável para gerar potenciais clientes qualificados.

Trata-se de um conteúdo enviado por email, a intervalos regulares, para uma base de dados qualificada.

  • Infografia

Colocamos aqui na imagem e no visual enquanto sintetizamos e divulgamos com números-chave um assunto problemático ou complexo.

Depois de produzido, cada conteúdo pode ser reciclado e reutilizado várias vezes: um extrato do artigo técnico no artigo do blogue, um vídeo numa história, uma infografia num tweet, etc.

Ferramentas do marketing de conteúdo

Iniciar-se no marketing de conteúdo exige organização e recursos adaptados, incluindo:

  • Personas

Personas são os retratos-robô dos seus clientes. São indispensáveis para definir o seu público-alvo e para saber com quem falar. Cada persona refere-se a um utilizador em particular com os seus próprios hábitos de leitura.

  • Linha editorial

Trata-se de uma estratégia que deve ser conhecida e partilhada com vista a uniformizar o tom e o estilo. A linha editorial deve ser coerente e constante em todos os suportes e em todos os conteúdos.

  • Calendário editorial

Quer se trate de uma ferramenta completa com delegação de tarefas, etiquetas e gestão de atribuições ou de uma simples folha de cálculo Excel, é uma ferramenta útil para organizar a produção de conteúdo. O calendário indica os assuntos publicados, a trabalhar e aqueles que estão em produção.

  • Automatização

Quando os conteúdos são partilhados, devem subsistir. A automatização evita o trabalho fastidioso e favorece a partilha depois de o conteúdo ser publicado.

  • Inteligência económica e benchmarking

Estas são ferramentas úteis para procurar as palavras-chave e os assuntos importantes do momento, ao mesmo tempo que consolida os conhecimentos do mercado e da atividade dos seus concorrentes.

SEO e marketing de conteúdo: o par perfeito

O SEO é uma preocupação diária para os profissionais de marketing. Perder uma única posição no Google pode levar a uma perda real e concreta do negócio. É por isso que a otimização do SEO é uma prioridade. Existem várias ferramentas, como backlinks (ligações inversas), formato responsivo, velocidade de carregamento das páginas e o facto de evitar o conteúdo duplicado. O facto de ter conteúdo novo, com palavras-chave estratégicas, que seja atualizado com regularidade, é também extremamente importante.

Bem construída, a sua estratégia de marketing de conteúdo pode fazer com que a sua empresa seja apresentada com palavras-chave novas, mas não só. Pode também fazer com que a sua empresa consiga posições nos resultados naturais do motor de pesquisa e preparar o seu Website para a pesquisa por voz.

A procura de visibilidade e de credibilidade é um desafio fundamental para os anunciantes. Para conseguir isso, deve cuidar do seu conteúdo. Desde 1996 que Bill Gates já dizia que o conteúdo era rei. Mais de vinte anos mais tarde, essa afirmação continua atualizada. A nossa equipa está habilitada a acompanhar a sua empresa no tema do marketing de conteúdo. Contacte-nos!

en savoir plus
Geração de leads

Pequenos detalhes com imenso impacto na conversão de leads

conversão de leads

Converter visitantes anónimos em leads é uma obsessão para os profissionais de marketing. São eles que representam os seus futuros clientes. Embora o processo de conversão seja diferente em B2B ou em B2C, as práticas recomendadas são as mesmas. É também necessário evitar os obstáculos. Considera a sua página de destino perfeita? Acha que a sua taxa de rejeição vai diminuir? Acha que tem tudo preparado para lançar a sua grande operação comercial? No entanto, o diabo está nos detalhes, como diz o ditado. Vamos avaliar em conjunto estes pequenos detalhes suscetíveis de afetar a conversão de leads.

Formulários inadequados

O formulário é o meio para estabelecer ligação com um visitante a fim de transformá-lo em potencial cliente. E, como tal, é normal e lógico querer saber tudo sobre o visitante. Para isso, considera necessário recolher o maior número de informações? O problema é que todos os estudos mostraram que o tamanho do formulário é inversamente proporcional ao potencial de conversão em potencial cliente. É claro que, quanto mais campos tiver de preencher, menos eficaz será. Mesmo que a maior parte dos campos seja opcional.

Criar um formulário eficaz requer definir os dados de que realmente necessita. Por exemplo, a data de nascimento ou o sexo são elementos importantes para si? Faça tudo o mais simples possível: no B2C, pode, legitimamente, solicitar o nome, o apelido e o email. Isto é mais do que suficiente para iniciar um relacionamento comercial sem ser intrusivo.

No B2B, o nome, o apelido, o email profissional e o nome da empresa são suficientes. Um bom processo de vendas de entrada permitirá que complete os seus dados de acordo com as interações com os seus potenciais clientes.

Por fim, é também necessário antecipar as utilizações dos dados recolhidos: para que efeitos serão utilizados? Com que finalidade? Com que objetivo? Como serão protegidos? Isto faz parte das novas obrigações impostas pelo RGPD, tal como o reconhecimento explícito do consentimento.

Design reativo e rápido

É claro que o seu Website ou página de destino está acessível no dispositivo móvel, mas isso é mesmo assim? Alguns detalhes de Web design podem afetar a experiência do utilizador e, por conseguinte, a conversão de leads. Eis alguns exemplos:

  • Testes

    Não teste o seu Website para dispositivos móveis num único tamanho, num único navegador ou num único sistema operativo. Um iPhone SE de 4 polegadas no Safari com iOS 11 terá um desempenho diferente do Galaxy Note9 no Firefox com a última versão do Android. Para obter um design reativo, é necessário dedicar uma atenção especial aos detalhes.

  • Menu e navegação

    Para além da apresentação do conteúdo, como se comporta o menu? Infelizmente, ainda é muito comum que este último não seja legível, ou que o conteúdo se sobreponha, tornando a página de destino inoperacional. Por fim, ainda em relação ao menu, é mesmo útil ter este menu “hambúrguer” ou este controlo de deslize cujos estudos demonstraram a sua ineficácia?

  • Conteúdo

    As suas principais mensagens estão bem visíveis para além da linha d’água? Entre as faixas para os cookies, os avisos do RGPD e alguns anúncios ou pop-ups que incentivam a subscrever um boletim informativo, o conteúdo às vezes é inundado por um grande número de camadas irritantes que não incentivam a continuar a navegação.

  • Velocidade de carregamento

    Na Web, é preciso agir rapidamente. Mesmo em dispositivos móveis e até com uma rede com recursos limitados. Otimize ao máximo a velocidade de carregamento, aligeirando o peso das suas fotografias, bloqueando os vídeos de reprodução automática nos dispositivos móveis, favorecendo o armazenamento em cache e testando os formatos otimizados, como, por exemplo, o AMP (Accelerated Mobile Pages), um acelerador de página para dispositivos móveis. Tenha em atenção que um teste de carregamento efetuado no centro de Paris em 4G não é necessariamente representativo da realidade vivida pelos seus potenciais clientes.

Falta de storytelling

Todos gostam de histórias. O storytelling transforma factos abruptos em emoções que podem criar uma ligação emocional com o seu público. Se considera que o seu produto ou serviço é o melhor, isso é um ponto positivo: dizê-lo é bom, mas tem de demonstrá-lo.

O storytelling permite criar um ambiente de comunicação que afeta positivamente o relacionamento entre uma marca e um visitante. É necessário contar uma história e atrair os visitantes. Isto, em todas as plataformas, incluindo no dispositivo móvel: não há necessidade de textos longos para despertar emoção, mesmo numa simples página de destino.

CTA não eficazes

Os apelos à ação são essenciais pois definem o caminho a seguir no caso de futuros potenciais clientes. Mas, mesmo assim, têm de ser funcionais. Os estudos de usabilidade e de ergonomia mostram que os CTA devem estar presentes na parte superior e inferior da página para serem facilmente visíveis e acessíveis.

Cada CTA deve ter cores e um design bem elaborado e ser consistente com a sua apresentação gráfica. Depois de ativado, o CTA deve facilitar a conversão de leads. Quer se trate de transferir uma aplicação, subscrever um boletim informativo, recuperar uma promoção ou validar um carrinho de compras, o passo seguinte deve ser simples e rápido.

Um CTA representa o vendedor que recebe um visitante numa loja: deve ser sorridente, agradável e persuasivo.

Páginas não testadas

Não acredite no filho do seu chefe, mesmo que ele lhe diga que a sua página está fantástica. Faça os testes A/B. É a única forma de garantir que as escolhas efetuadas são relevantes e estatisticamente comprovadas.

Os testes A/B permitem comparar duas variações diferentes da mesma página. Se uma delas tiver um desempenho significativamente melhor do que a outra, os dados estatísticos comprová-lo-ão. Quanto mais testar, mais otimizará, e mais probabilidades terá de converter potenciais clientes.

Também é possível testar tudo: o título, as imagens, o layout da página, o CTA, etc.

Otimizar uma página de destino, a página inicial do seu Website ou uma página do produto é um trabalho minucioso. Existem muitas microações que podem favorecer a conversão de leads, jogando com as perceções, as emoções e os hábitos de navegação dos seus visitantes. Conhecer estes detalhes pode melhorar os seus resultados e desenvolver um sentimento de confiança entre a sua marca e os seus futuros potenciais clientes.

A nossa equipa Kwanko pode ajudá-lo na geração de leads e no design gráfico das suas campanhas de desempenho. Consulte as nossas ofertas e entre em contacto com a nossa equipa para obter mais informações.

en savoir plus
afiliação

Sites com boas ofertas: indispensável num programa de afiliação

sites com boas ofertas

É impossível ignorar os sites com boas ofertas para quem é e-comerciante. Ambos são motores de crescimento e fontes de tráfego com um grande impacto nas vendas online. Um estudo da CPA mostra que 53% dos utilizadores abandonam o carrinho se não encontraram um código promocional ao validar a sua compra. Ignorar os sites com boas ofertas para as marcas, significa correr o risco de evitar uma tipologia de afiliados que pode ter um impacto real nos seus objetivos de vendas. Passamos a explicar-lhe.

Quem se esconde por detrás dos sites com boas promoções?

Por detrás do termo “sites com boas ofertas“, encontramos uma grande variedade de ofertas e métodos. Os mais conhecidos são cashback, os códigos de promoção e as boas ofertas. 

  • O cashback

    O princípio consiste em recompensar os clientes que compram no seu site através de um intermediário. Para consegui-lo, o site de cashback trabalha principalmente com as plataformas afiliadas que as retribuem em caso de venda através das suas parcerias com os anunciantes. O site de cashback partilha essa remuneração com o cliente. A cada compra, o cliente recebe uma quantia que se acumula e que pode ser transferida para a sua conta bancária ou utilizar a partir de um determinado nível.

  • Códigos promocionais ou cupões de desconto

    Estes são códigos únicos e limitados no tempo, que permitem obter uma redução no valor final da compra. Um código também pode ser usado para aproveitar um serviço gratuito (entrega ou extensão de garantia, por exemplo) ou para uma oferta do tipo “2 em 1”. O site do comerciante negocia com o site que promove os códigos, permitindo alcançar uma base de clientes maior do que se o fizesse sozinho.

  • Promoções e boas ofertas

    Estes são descontos especiais que são concedidos apenas a determinados sites ou intermediários. A partir de um link específico, e uma vez registado no site com boas ofertas, o cliente tem acesso à oferta do vendedor.

O estudo da CPA aponta que esses sites fornecem um tráfego considerável para os e-comerciantes, já que 50% dos utilizadores não vêm do site comercial do anunciante ao fazer o pedido e preferem passar por diferentes locais como blogs, comparadores de preços, sites de cashback, etc.

Relativamente aos sites de códigos promocionais, os mesmos geram 37% do total de vendas para os anunciantes.

Porquê prestar atenção aos sites com boas ofertas para os vendedores online?

Os anunciantes nem sempre veem com bons olhos os sites com boa ofertas. As razões geralmente estão relacionadas com o medo de profanar o produto ou o serviço numa lógica de declínio no alcance. No entanto, não são as marcas de menor prestígio que incluem os sites com boas promoções na sua estratégia de vendas: Apple, Canon, Galeries Lafayette, Lancome, Clarins, Emirados… para citar alguns exemplos.

Ao alcançar o maior número possível de pessoas, os sites com boas ofertas estão a realizar uma enorme quantidade de trabalho de marketing ao serviço dos sites de venda online. Podem alcançar uma comunidade grande e fiel, pronta a partilhar boas informações online e comentar sobre a experiência. Para as marcas, é um importante motor de crescimento.

O segredo para os anunciantes é encontrar o equilíbrio certo entre as ofertas para anunciar nos sites com boas ofertas e as ofertas que devem permanecer no canal de vendas tradicional. Fim de stock, produto no final da coleção, avião ou hotel meio vazio, oferta bancária de forma a conquistar um novo cliente antes da fidelização, excedente de stock… as estratégias são diversas, mas os resultados estão no mesmo patamar, dado o grande volume.

A suas ofertas tornam-se mais visíveis, ganha novos clientes que serão possíveis de fidelizar mais tarde, aumenta o seu cesto médio e pode também fazer mais vendas e vendas cruzadas. Se não fazem tudo, estes sites, no entanto, participam na sua dinâmica de vendas.

O sucesso nos sites com boas ofertas exige consistência e uma certa regularidade: quando o número de ofertas promocionais na sua marca é inferior a dois, 81% das visitas acabam na página de outro comerciante, de acordo com o estudo da CPA. A renovação regular de ofertas de cashback, dicas e códigos promocionais pode aumentar a visibilidade e fidelizar uma clientela específica, sensível ao esforço financeiro feito pelo anunciante.

Salvo algumas exceções, os sites com boas ofertas não precisam de acolher a integralidade da sua oferta. O processo deve ser dominado para gerar valor aos olhos dos seus novos clientes. É um canal de vendas e distribuição específico que agrega todos os outros e abre novas perspetivas para otimizar o seu ROI e aumentar as suas vendas online.

A nossa equipa Kwanko pode ajudá-lo a criar um programa de afiliados e, claro, trabalhar com boas ofertas e códigos promocionais. Confira as nossas ofertas e entre em contacto com a nossa equipa para mais informações.

en savoir plus
Marketing de desempenho

Anunciantes: Prontos para o Dia dos Namorados ?

Dia dos Namorados

O dia de São Valentim. Entre o chocolate, a flor e o jantar romântico, conhecemos todos os clichés transmitidos neste 14 de fevereiro. No entanto, se o Dia dos Namorados celebra a união amorosa, nada impede que faça uma declaração de amor aos seus clientes e aos seus potenciais clientes. Não importa se o seu negócio está diretamente conectado ao Cupido ou não, uma boa narrativa pode transformar esse dia em um sucesso comercial. Para consegui-lo, precisa de uma boa dose de criatividade, um pouco de método e alguns bons conselhos. Venha, nós também o adoramos!

Crie um universo visual específico ao Dia dos Namorados.

O Dia dos Namorados, assim como o Natal ou a Black Friday, têm códigos que devem ser respeitados.
Cuide do seu visual, adicione uma pequena dose de rosa e vermelho e trabalhe no seu título e na captura de todas as suas ferramentas: website, anúncios no Facebook, e-mail marketing, banners, página de destino, aplicação móvel, etc. Na mente dos seus clientes, a associação com o Dia dos Namorados será imediata.

Não se esqueça de alinhar as suas criações com o seu posicionamento e os seus valores editoriais. Se a sua imagem geralmente é muito séria, jogar com o deslocamento não será uma boa ideia. Deve existir uma coerência para criar uma experiência única e memorável. Finalmente, se a sua marca é particularmente progressista, lembre-se de que o amor não é apenas sobre casais heterossexuais. Pode ser usado para celebrar o amor em todas as suas formas, sem restrições.

Um dia … que pode durar um pouco mais de 24 horas

Sim, o Dia dos Namorados é a 14 de fevereiro, mas nada impede que aumente a pressão um pouco antes. Porque não fazer a semana do amor nos últimos 7 dias? Ou algum tipo de calendário do advento da versão do Dia dos Namorados com uma promoção especial por dia até 14 de fevereiro? Criar uma transação comercial leva tempo e recursos. Fazê-la durar um pouco mais permite uma melhor distribuição de esforços e retornos potenciais.

Se decidir concentrar a sua energia no dia 14 de fevereiro, deve anunciar o evento um pouco antes aos seus clientes potenciais. O Marketing por e-mail e as redes sociais são duas alavancas muito eficazes se forem bem tratadas. Um sistema de registo e contagem regressiva são algumas das melhores práticas para capitalizar este evento. Pode também enviar aos seus clientes mais fiéis, um cupão de desconto especial, que complementará quaisquer outras ofertas nos sites de reembolso ou de boas ofertas.

Adapte a sua oferta o Dia dos Namorados

Fazer do Dia dos Namorados um evento comercial exige um pouco de adaptação. Ao contrário da Black Friday, onde tudo pode ser vendido com desconto, de televisões a carros, passando pelas taxas de juros bancárias e softwares de computador, o dia 14 de fevereiro é um alvo bastante específico.

Segundo um estudo do Google, são os homens que compram mais no Dia dos Namorados. Desta forma, tem de saber como falar com os mesmos. Eis alguns exemplos:

  • Crie um guia de compras personalizado e filtrável para encontrar ideias para presentes.
  • Ofereça presentes ou serviços especiais para consumir em casal.
  • Faça uma seleção de artigos ou produtos, como o top 10 ou o top 5, que podem ser incorporados no marketing de conteúdo (redes sociais, blog, e-mail, influência …).

Por fim, o Dia dos Namorados é também uma oportunidade para segmentar as suas mensagens de marketing por e-mail. No seu banco de dados, deve criar campanhas específicas por género. Uma campanha para homens, com um design e foco específicos, que será diferente da dedicada às mulheres, marcará mais mentes e será mais eficaz.

Essa segmentação também se aplica a anúncios em redes sociais e criações de páginas de destino. Ao permanecer no mesmo ambiente visual, cria uma experiência relevante, direcionada e adaptada ao tema.

O Dia dos Namorados é uma oportunidade de ouro para lançar uma campanha promocional para e-comerciantes.
Bem preparada, aumentará a consciencialização entre a sua comunidade, os seus clientes e prospetos a partir de múltiplos canais para criar um efetivo efeito de sinergia. Se o Dia dos Namorados não se improvisar, pode, no entanto, gerar compras de última hora. Portanto, será um momento importante para mobilizar as suas equipas de forma a atualizar regularmente o seu conteúdo, gerir a logística e ter um suporte ao cliente responsivo em todos os canais (telefone, redes sociais, chats, e-mail, etc.).

Quer começar uma campanha no Dia dos Namorados ou precisa de ideias? A nossa equipa de especialistas em gestão de campanhas e o nosso estúdio gráfico podem ajudá-lo. Contacte-nos !

en savoir plus
Marketing de desempenho

Infográfico | TOP 10 Datas para o E-commerce em Portugal

Infográfico TOP 10 Datas mais Importantes do E-commerce em Portugal

Veja o nosso Infográfico TOP 10 Datas para o E-commerce em Portugal.  Estas TOP 10 Datas são cruciais para uma estratégia de e-commerce consistente em 2019.  Especialmente no mercado do e-commerce Português.

De acordo com esta fonte, o comércio electrónico valia €4.145 milhões de Euros em 2017. E só os e-shoppers cresceu para 59% em Portugal. Agora em 2019 tudo está pronto para se tornar um importante mercado para aqueles que souberem tirar partido.

DICA: Para descarregar, basta clicar na imagem (vai abrir numa nova janela) e depois salvar a mesma localmente.

Top 10 Datas do E-commerce em Portugal

 

en savoir plus
1 2 3 5
Page 1 of 5