Black Friday 2017
Black Friday - na Kwanko

Sim, já estamos em setembro! O que significa que mais uma Black Friday se aproxima. Essa é uma das datas mais importantes do ano para o retalho e, no ano de 2016, a Kwanko revelou que apenas pela plataforma da empresa, passaram 1,8 milhões de euros em vendas online. A nível mundial, com os dados recolhidos através de uma plataforma própria da marca, os 35 milhões de cliques geraram 310 mil encomendas, o que representou 30 milhões de euros em vendas. Pensando nesse assunto que não sai da cabeça dos portugueses no segundo semestre, a nossa equipa de conteúdo fez três perguntas primordiais para o Fernando, da equipa comercial brasileira, para entender como ter ROI garantido nessa data tão aguardada.

E: Fernando, observamos que o planeamento para a Black Friday está cada vez mais em cima da data. Em 2016, em agosto já víamos uma forte movimentação voltada para esse objectivo e campanhas já a ser fechadas. Neste ano, já estamos em setembro e isso ainda é um assunto bem adormecido. Como vê essa questão? Acredita que isso é uma tendência?

F: Sim, é uma tendência, pois essa data já está bem consolidada dentro das agências e anunciantes. Com diversas análises de resultados e investimentos de Black Fridays anteriores, podemos afirmar que o mercado está maduro quanto ao planeamento. As marcas já têm em mente quanto investir em média e a quantidade de descontos a serem alocados.

Além disso, a Black Friday tem vindo a mudar ao longo dos anos. Antes tínhamos uma grande concentração de esforços apenas para a sexta-feira, depois a sexta virou um final de semana e hoje já vemos empresas que entendem o conceito Black Friday como um ciclo mensal, ou seja, são 30 dias de promoções que têm um pico na última sexta-feira de novembro. Sendo assim, os esforços estão a ser diluídos e não só concentrados numa data.

E: Mesmo com todas essas mudanças, como acredita que seja o planeamento ideal para a Black Friday?

F: O planeamento para a Black Friday deve acontecer de dois a três meses do mês de novembro e em duas fases primordiais para sucesso efectivo no ROI:

Fase 1: Captar uma base de pessoas que estejam identificadas com a sua marca, produto ou serviço e estejam ávidas por grandes descontos nessa data. Sendo assim, uma estratégia de captação de leads com nome e e-mail, por exemplo, é de extrema utilidade para que as acções de CRM sejam efectivas.

Outro ponto importante é estar presente num ambiente ainda não explorado pela empresa, ou seja, impactar o máximo de pessoas que ainda não estão ligadas à sua marca, já que quando pensamos em Black Friday, pensamos em consumo por impulso. Portanto, investimentos em display programática e e-mail marketing para o público não explorado também devem estar dentro do planeamento. Essa primeira fase deve durar de um a dois meses para que a base de leads gerada seja qualificada.

Fase 2: A segunda fase consiste em utilizar essa base de CRM através de campanhas de e-mail marketing para que as pessoas que foram impactadas anteriormente, agora finalizem o funil de compra, gerando conversão em vendas.

E: Fernando, sabemos que para que esse planeamento seja realmente assertivo, existem alguns pontos a serem levados em consideração, quais são eles?

F: O mercado digital está a passar por grandes modificações com o surgimento quase diário de novas plataformas e media, porém é importante pensar com cautela quando falamos de share de investimento por media. Para essa data, em específico, é imprescindível que os investimentos sejam alocados de forma cautelosa e analítica. Por experiência, nós na Kwanko entendemos que campanhas via e-mail marketing e display ainda são a base de sucesso em vendas e ROI. É claro que testar os novos canais e plataformas que vêm surgindo é importante, mas em datas como essa, uma análise criteriosa é a base para o sucesso da Black Friday para a sua marca.

Uma outra revolução na BF e que os anunciantes têm que estar preparados, é a migração de tráfego desktop para o mobile. As empresas precisam preparar as suas Apps e sites mobile de forma a que a experiência de compra para o utilizador seja muito mais rápida e simplificada e, assim, não haja perda no volume de vendas através do tráfego mobile.

A Black Friday ainda tem seus segredos mas, aos poucos, vamos desvendando. O mais importante é agir com cautela e escolher os parceiros certos para que, em 2017, o crescimento em vendas seja ainda maior do que nos anos anteriores.

Tags : afiliaçãocomércio electrónicoentrevistakwankomarketing mixnative ads
Laura Spitz

The author Laura Spitz

Leave a Response